Orixá Oxumarê

Oxumarê é o Orixá que atua na vida dos seres para absorver, diluir e corrigir os desequilíbrios no campo do amor e que, ao mesmo tempo, irradia energias de renovação.

A energia de Oxumaré se movimenta por meio de uma onda dupla: uma onda dilui as negatividades dos seres e a outra onda, simultaneamente, os renova.
Essa onda dupla é simbolizada por duas serpentes entrelaçadas num eixo vertical.
E aqui surge um dos Mistérios de Oxumarê: o Mistério Cobra ou Serpente.
Mas esta “serpente” não se refere ao animal, ao réptil, na verdade ela representa a kundalini, um tipo de Energia que circula no chakra básico.

Oxumarê é o Orixá de todos os movimentos e de todos os ciclos.
Se um dia Oxumarê perder suas forças o mundo acabará, porque o universo é dinâmico e a Terra também se encontra em constante movimento.

Irradiação: Amor
Campo de atuação: Renovador e Agregador
Elemento: Terra
Cores: Verde, amarelo
Data comemorativa: 24 de agosto
Dia da semana: Terça-feira
Saudação: Arrô Boboi!

Filhos de Oxumarê
São pessoas que tendem à renovação e à mudança.
Extremamente ativas e ágeis, estão sempre em movimento e ação.
Periodicamente mudam tudo na sua vida, vivem rompendo com o passado e buscando novas alternativas para o futuro, para cumprir seu ciclo de vida: mutável, incerto, de substituições constantes.
São pessoas que se prendem a valores materiais e adoram ostentar suas riquezas.
São orgulhosas, exibicionistas, mas também generosas e desprendidas quando se trata de ajudar alguém.

Lendas
Quando Xangô e Oxum quiseram se casar, perceberam que seria difícil viverem juntos, pois a casa de Oxum era no fundo do rio e Xangô morava por cima das nuvens. Então, resolveram arranjar um criado que facilitasse a comunicação entre os dois. Falaram com Oxumaré, que aceitou servir de mensageiro entre eles. Só que, durante a metade do ano em que é o arco- íris, Oxumaré levava as águas de Oxum para o céu; não chovia e a terra ficava seca. Por isso, Oxumaré resolveu que, nos seis meses em que fosse cobra, deixaria o serviço. Nesse período, Xangô precisa descer até Oxum, e então acontecem os temporais da estação das chuvas.

Oxumaré era o babalaô da corte de um rei que,embora fosse rico e poderoso, não pagava bem seu sacerdote, que vivia na pobreza. Certo dia, Oxumaré perguntou a Ifá o que fazer para ter mais dinheiro; Ifá disse que, se ele lhe fizesse uma oferenda, ele o tornaria muito rico. Oxumaré preparou tudo como devia mas, no meio do ritual, foi chamado ao palácio. Não podendo interromper o ritual, ele não foi; então, o rei suspendeu seu pagamento. Quando Oxumaré pensava que ia morrer de fome, a rainha do reino vizinho chamou-o para tratar seu filho doente e, como Oxumaré o salvou, a rainha pagou-o muito bem. Com medo de perder o adivinho, o rei lhe deu ainda mais riquezas, e assim se cumpriu a promessa de Ifá.

Oração

Pai Oxumarê, divino arco-íris da alegria,
Do encantamento e da renovação,
Toca meu coração magoado, de tristezas que ninguém vê
E liberta a minha alma do rancor e da desilusão
Que me prendem num passado sem paz e sem calma. 
Serpente da sabedoria, das águas de ouro do amor,
Toca meu pensamento intranquilo e deposita em meu ser
Doces gotas de alegria, num jato renovador
Da dor antiga e sombria que eu teimo ainda em reter. 
Pai das águas lá dos céus, onde moram as Sete Cores,
Toca e desfaz esses véus e me faz novo, de novo,
Qual criança renascida, que em paz descansa,
Mansa e sem temores, abençoada e nutrida
Abraça a Terra, Pai Divino,
Dilui em nós toda mágoa, renovando e despertando
Todos os filhos teus
Com o Poder Celestino, das tuas cores e águas.
Sustenta-nos em tuas mãos e nos eleva do chão
Ao colo Sagrado de Deus. 
Salve o nosso Pai Oxumarê, o Senhor do Arco-Íris!
Arrobobô, meu Pai!
 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *